O Border Collie é um cão super ativo?

Existem algumas “lendas” ou “verdades sociais” que as pessoas criam para dar respostas prontas a algumas perguntas! Então é realmente difícil de responder objetivamente a algumas perguntas. Não existe uma regra de quanto de exercício um border collie precisa fazer por dia, ou quantas vezes por semana precisa passear quantos quilômetros, enfim… a resposta certa para essa pergunta nunca vai existir. Existem vários aspectos a serem considerados.

1º Seleção e Herdabilidade Genética – muitas características comportamentais podem ser herdadas, tanto de pai e mãe quanto de ancestrais mais distantes. Infelizmente existem pessoas que reproduzem cães sem se importar com isso, gerando indivíduos cada vez mais instáveis. Na minha criação a seleção por comportamento e temperamento é tão ou mais importante que as características físicas. Aqui acreditamos fazer o nosso melhor para que nossos filhotes sempre tenham o potencial genético de serem os mais equilibrados possíveis, para isso, reproduzindo apenas cães de temperamento equilibrado e compatível com o que se busca na raça.

2ª Primeira infância e socialização precoce – desde os primeiros dias de vida os nossos filhotes já recebem estímulos compatíveis com o período do desenvolvimento, entrando em um programa de socialização e estímulo social únicos, baseado na necessidade individual e coletiva da ninhada. Os filhotes não são entregues antes dos 60 dias de idade, pois esse período é primordial que fiquem dentro do convívio da ninhada, para um desenvolvimento piscico-social adequado. Filhotes que são entregues com 45 dias via de regra se tornarão adultos ansiosos e desiquilibrados e a maioria das pessoas nunca faz esse tipo de relação, do comportamento do adulto com a data de entrega do filhote.

3º Educação e dedicação ao filhote – não é porque um filhote sai daqui preparado, socializado e cheio de experiências boas, que isso basta! Quando o bebê chega na sua casa você vai precisar se dedicar ao máximo para ter um cão equilibrado, especialmente no primeiro ano de vida. Então, educação é a palavra de ordem! Sempre combinado com muito amor, carinho e som senso.

Então para resumir: o Border Collie é para ser um cão EQUILIBRADO, ou seja, aquele vão que topa uma trilha super “hard” de dezenas de quilômetros e já chega em casa perguntando quando vai ser a próxima, mas que também vai amar ficar ao seu lado, no sofá em um domingo chuvoso Maratonando um seriado na TV ou então finalizando a leitura de um livro ao seu lado!

Opinião de Camila Sakavicius – Médica Veterinária e Criadora de Border Collies desde 2003

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *