Novas normas para registro de cores de pelagem pela CBKC – Parte 1

Por muitos anos, as cores que tínhamos em Border Collies eram as mais básicas: Pretos e Brancos, Tricolores, depois vieram os Marrons e etc.

Mas de uns anos para cá, surgiram novas cores no Brasil da raça, que conseguimos graças as genéticas diversificadas de investimento de diversos criadores.

Com isso, os kennels e a CBKC aceitavam o que os criadores achavam que era cor e que deveriam ser registradas. Muitas vezes, o mapa de ninhada voltava e o criador precisava achar uma das cores descritas e aceitas pela CBKC para registrar seu filhote.

Esse ano, a CBKC decidiu que seria a hora de padronizar o registro dos borders e fomos um dos criadores consultados para tal proposito. Também agradecemos ao Claudio Rossi, do Conselho Cinotécnico da CBKC e também aos colegas criadores Jorge de Carvalho, Canil Dog’s Happiness, e da Juliana Lisboa, Canil Hand Painted. Trabalhamos juntos para acertar os termos corretos das cores.

Vamos dividir o texto em três partes, a primeira com os cães de base preta, com as variações de diluição, marcação tan e marmoreio (merle).

No próximo texto falaremos das mesmas variações em cães de base marrom. No terceiro e último texto, vamos falar dos que recebem influência de outros genes, dando aspecto dourado, como no caso dos vermelhos australianos e sables.

Preto e Branco

A cor mais popular e tradicional da raça. Pode ser com qualquer marcação e com ou sem pintas. 
Tecnicamente, existem pelos de pigmentação preta e de pigmentação branca, bem definidos e delimitados. Dentro dessa variação, ainda pode haver alguma variação de “tons”, cães com o preto mais vivo e brilhante e outros com preto “mais apagado” ou mesmo mais avermelhados. Isso pode ser em decorrência dos cuidados (sol, hidratação), nutrição ou mesmo fatores individuais. Resumindo, todo preto é preto, mas ne todo preto é igual!

Preto Tricolor

Segue o mesmo padrão do Preto e Branco, agora com marcações cor de canela (também conhecida como “marcação tan”), em pontos específicos, como bochechas, sobrancelhas, peito, intersecção da marcação branca com a preta nos membros anteriores e posteriores, parte inferior da cauda.

Existem algumas variações de quanto a marcação cor de canela aparece no cão, do tom, que vai desde o amarelo pálido até um marrom mogno e a intensidade dessa marcação, que pode até passar desapercebida.

Preto Merle

Anteriormente conhecida como Azul Merle, ou mesmo Blue Merle para os que gostam de citar nomes em inglês.

A terminologia PRETO MERLE é a mais correta, pois é uma base preta com a influência do gene merle, que promove a marmorização da cor, dando esse aspecto azulado.

As trufas (focinho) são pretas e só há, no corpo, pigmentos pretos, mas com a influência do gene merle, a mistura com os pelos brancos causa esse padrão azulado. Podem haver manchas pretas maiores ou menores. 

Preto Merle Tricolor

O mesmo padrão do Preto Merle, porém com marcações cor de canela nos locais específicos, como bochechas, sobrancelhas, peito, patas e base da cauda.

As trufas (focinho) são pretas. Podem haver manchas pretas maiores ou menores. 

Azul e Branco

Muita gente confunde azul e branco com preto e branco. Na verdade, o manto azul é a diluição do pelo preto, dando uma aparência que vai desde o cinza chumbo, até o cinza mais prateado ou azulado. Mas é uma cor considerada sólida, não tem relação com a marmorização do merle. É um manto de cor única, com as marcações branco nos locais tradicionais.

Em geral, filhotes com essa cor de pelagem nascem bem mais claros, quase “prateados” e pode ir escurecendo com a troca de pelagem.

As trufas (focinho) são azuis (cinzas). Não há pigmento preto nesse cão, tudo que seria preto está diluído, então, olhos acabam ficando um pouco mais claros, pois onde seria preto agora é cinza, o mesmo vale para pálpebras, lábios, unhas, e sola das patinhas.

Azul Tricolor

Mesmo padrão do Azul e Branco, com as marcações do de canela nos locais pré-estabelecidos.

Azul Merle

Aqui é a que vai mais causar confusão. Pois o anteriormente conhecido como Cinza Merle ou, do inglês Slate Merle. 

A terminologia Azul Merle se emprega melhor aqui, pois é o cão da cor azul e branca com a influência do gene merle.

Lembrando que não há pigmentos pretos nesse cão, as machas são azuis e não preta, e trufa, pálpebra e lábios são cinza ou cor de ardósia.

Azul Merle Tricolor

Aqui é a que vai mais causar confusão. Pois o anteriormente conhecido como Cinza Merle Tricolor ou, do inglês Slate Merle Tri. 

A terminologia Azul Merle se emprega melhor aqui, pois é o cão da cor azul e branca com a influência do gene merle. Adicionado à marcação de canela (tan) nos locais já conhecidos.

Lembrando que não há pigmentos pretos nesse cão, as machas são azuis e não preta, e trufa, pálpebra e lábios são cinza ou cor de ardósia.

Gostaram? Agora que já sabemos tudo sobre os border collies com a base preta.

Na hora de registrar ou citar a cor dos filhotes, essas são as terminologias corretas!

Fique aqui conosco que nos próximos dias, traremos mais dois textos para completar esse assunto! 

Se ficou alguma dúvida sobre essas cores citadas, deixa aqui nos comentários que tentaremos esclarecer todas que forem possíveis!

Pode compartilhar com os colegas, criadores e apaixonados pela raça, pois esses são os nomes OFICIAIS das cores dos Border Collies.

Texto escrito a “quatro mãos” por Ana Paula Ambrozini e Camila Sakavicius. Todos os termos utilizados são aprovados pela CBKC e estão em vigor desde 2021.

As fotos dos cães são em maioria de nossa propriedade ou tem autorização para ser utilizada por nós.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *